quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Wolf Children, Little Witch Academia e Ben-To

13:00:00 Escrito por Lucas Rodrigues , , ,
Meus filhos lobos brigam no colégio de magia por comida com desconto!


Resolvi roubar a ideia de uma das matérias da Nyu e fazer uma com mini resenhas de três animes. Para mudar o formato, vou colocar um anime, um curta e um longa metragem. Bora lá então.

Okami Komodo no Ame To Yuki


Também conhecida como Wolf Children, é um filme de 2012 dirigido e co-escrito por Mamoru Hosoda. Seguimos a vida de Hana, que em sua faculdade acaba conhecendo e se apaixonando por um jovem. Ele revela ser um lobisomem (ao estilo japonês, esqueça a fera sanguinolenta de Hollywood) e eles tem dois filhos, o que acaba forçando a moça a abandonar a faculdade para se dedicar a família. Mas isso tudo acontece rapidamente no inicio do filme, para então o lobisomem morrer, deixando Hana para cuidar de crianças metamorfas.

Sabendo o quão difícil seria criar as crianças na cidade grande, Hana decide se mudar para um lugar isolado no campo, mais próximo a natureza. As crianças, Ame e Yuki, tem personalidades radicalmente diferentes, que se alteram com o crescimento. Um filme sobre amadurecer e encontrar seu próprio caminho.

A arte, trilha sonora e desenrolar da história são todos muito bem feitos. Tanto o amadurecimento emocional de Hana, e sua aplicação para os filhos, quanto as mudanças que um evento acarretam na personalidade das duas crianças, sempre em desenvolvimento. Os personagens secundários funcionam bem para ajudar a mostrar e guiar esse crescimento.

Wolf Children é um filme tocante, bom para assistir com a família. Embora contenha elementos sobrenaturais, o diretor soube trabalhar para que ele não destoasse da realidade do restante do longa. É um filme que me levou as lágrimas não por tristeza, mas por realmente passar as emoções e dúvidas de seus personagens.


_________________________________________________________________________________

Little Witch Academia

Arte por Simonori
Esse é um curta produzido pela Trigger para o concurso anual Anime Mirai em 2013. Ele conta a história de Akko, uma menina que antra em um colégio de magia mesmo que sua família não tenha tradição mágica, graças a sua facinação de infância pela bruxa Shiny Chariot. Ela não sabe, entretanto, que seu ídolo é mal visto entre a comunidade mágica. Diana, a melhor aluna da sala, acaba pegando antipatia da garota ao saber disso. Entretanto, junto com Lotte e Sucy, Akko pretente provar que pode se tornar uma grande bruxa.

Por ser uma história curta, ele tem pouco desenvolvimento, com mais apresentação de conceitos, por exemplo a acadêmia de magia, as lições de voo, poções mágicas, exploração de masmorras que fazem parte de uma aula. Você tem personagens com arquétipos bem caricatos. Akko é agitada, ruins com estudos mas corajosa. Diana é metida e babaca, mas tem seu próprio segredo. Lotte é uma boa amiga, calma e estudiosa. E Sucy... bem, ela é estranha, faz poções perigosas e tem meu character design favorito nessa matéria.

A arte é consistente, fugindo do traço padrão para algo mais cartunesco, principalmente com os exageros de expressão desse estilo. A música é competente, embora não chegue a chamar atenção. A atenção a detalhes é bem interessante. Depois de assistir, veja o início de novo prestando atenção no público e você entenderá o que quero dizer. É um detalhe menor e compreensivo para uma produção pequena, mas não deixa de ser um cuidado legal com a animação.

O visual do anime me agradou muito na época de lançamento, assim como a história leve e a arte. A exploração de masmorra foi uma parte muito divertida por seus diversos detalhes. Little Witch Academia não tem uma quantidade grande de conteúdo, mas é um material divertido para meia hora de tempo livre quando quiser ver algo leve. E em outubro de 2015 um novo curta, financiado por kickstart, será lançado, e existem chances de um anime se ele tiver uma boa recepção.


_________________________________________________________________________________

Ben-To


É um anime de 2011 baseado na light novel de Asaura. A história é sobre pessoas lutando por comida com desconto em mercadinhos por todo o Japão.

É sério, eu podia terminar a analise por aqui porque é isso. A premissa mais idiota e absurda que eu já ouvi na minha vida, e claro que foi isso que me atraiu para ele.

O anime segue Yo Sato, um estudante colegial que, indo comprar seu jantar, acaba se encontrando no meio de uma pancadaria generalizada e acaba nocauteado. Acostumem-se, ele é nocauteado muitas vezes. Acaba sendo chamado por uma garota chamada Sen para participar do Clube de Amantes de Comida por Metade do Preço, e é introduzido a esse mundo de combate por comida com desconto, cheio de regras e cortesias entre os lutadores. Incrivelmente, o anime de 12 episódios desenvolve 3 arcos completos, desenvolvendo não só a pancadaria, como a motivação de diversos dos outros personagens (mesmo que essa motivação envolva a luta e a comida com desconto. Esperar algo emocionalmente profundo aqui é forçar a barra). Você vai pela premissa ridícula e fica pela história que, incrivelmente, é divertida e bem feita.

O anime tem seus problemas, entretanto. O exagero do fanservice pode ser um incomodo, assim como o arquétipo de algumas das personagens. A arte é bem mediana e até um pouco genérica, embora as lutas consigam ser boas. A trilha sonora me passou despercebida.

Mas se conseguir passar por cima desse fato e ignorar a absurda falta de sentido da trama, você pode se divertir bastante com um anime de porrada franca e sincera.