quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Little Witch Academia: The Enchanted Parade

12:00:00 Escrito por Lucas Rodrigues , , ,

"Se vamos mesmo fazer isso, podemos fazer do jeito mais feliz possível! Vamos criar uma nova imagem para as Bruxas!"

Little Witch Academia: The Enchanted Parade (Mahoujikake no Parade em japonês) é um filme animado de 53 minutos, produzido pela Trigger. Ele é uma continuação do primeiro Little Witch Academia, um curta produzido para um concurso em 2013, e você pode ler mais sobre ele aqui.

Como o seu antecessor, ele traz uma história simples e clichê contada de forma divertida, com personagens agradáveis. Diferente dele, em sua quase uma hora, o filme tem tempo de fazer muito mais desenvolvimento de personagens, cenário e conceitos.

Acompanhamos as três garotas que, após mais uma confusão numa aula de poções, acabam sendo incumbidas de organizar o desfile que ocorrerá na cidade próxima a acadêmia. Akko entretanto não fica feliz em descobrir que o desfile é para lembrar a época de caça as bruxas e sua história trágica, e decide tentar transformar o desfile em um show para que todos vejam o quão legais as bruxas são. Temos ainda duas histórias secundárias, uma de briga entre as garotas, e outra de uma criatura adormecida – sim, outra. Essa escola precisa de uma brigada Tokusatsu interna.

Personagens

Nós temos o retorno de todas as personagens da primeira animação, com um foco maior nas três garotas principais que se desenvolvem, e a adição de alguns novos.

Imagem por Eric Omega
Akko continua sendo representada como uma garota animada, com pouca inclinação para o estudo mas empolgada com magia. Sua agitação acaba causando problemas, entretanto, quando ela não consegue enxergar os sentimentos de suas amigas em meio a seus planos.

Lotte ganha alguma profundidade emocional e história sobre sua família. Ela demonstra dificuldade de se expressar quando acha que isso vai desanimar Akko, mas também sua capacidade de explodir de raiva sem ignorar seus deveres. Sua família também parece ser capaz de interagir com espíritos através de música.

Sucy recebe menos destaque, mas serve como a voz da razão quando as outras duas estão com raiva.

Temos também três outras garotas encrenqueiras. Amanda é uma delinquente e ótima dançarina. Constanze parece desinteressada no resto do mundo, mas é hábil com tecnologia. Jasminka é glutona, mas parece não se irritar com nada nem ninguém.

Desenvolvimento

Essa parte vai conter alguns spoilers, então caso queira assistir, pule para a próxima.

The Enchanted Parede não é nem de longe um primor da inovação em roteiro ou método de contar uma história. Os dois conflitos principais são uma briga entre amigas, e uma pessoa gananciosa acordando um perigo da qual ela não tem consciência. Mas enquanto isso não é a coisa mais inovadora do mundo, tudo é entregado de forma agradável e divertida de se assistir.

LWA tem uma galeria de personagens divertida, que, apesar de seus clichês, geram interações gostosas de se assistir. Em nenhum momento alguma das garotas é tratada como escolhida, ou como tendo habilidade de resolver tudo – na verdade, a garota mais próxima disso é Diana, a quem Akko considera sua rival. Assistimos a um grupo de crianças com seus pontos fortes e limitações tendo que trabalhar juntas em busca de seu objetivo, com conflitos e interações criveis. Mesmo quando Lotte está com raiva por uma atitude estúpida da amiga, ela sabe que Akko não tinha má intenção e continua trabalhando para ajudá-la.

Quando o gigante desperta no meio da cidade e começa a transformar todos os objetos em volta em monstros, a professora tenta ajudar as garotas a resolver a situação sem fazer com que todos entrem em pânico – o que é condizente com sua identidade. Nesse momento, mesmo Diana e os garotos da cidade, que não gostam de bruxas, trabalham junto com o grupo principal para resolver as coisas.

Aspectos Técnicos

A arte novamente é fantástica. O traço cartunesco, as expressões, e mesmo o design de personagens e monstros contribui com uma forte identidade visual da obra. Talvez a obra pudesse se aproveitar de uma palheta de cores mais viva, mas a escolha de cores não é nem de longe um problema, principalmente quando levamos em conta a coloração do cenário.

Novamente, ficarei devendo para vocês uma analise mais profunda sobre música. Como eu já disse antes, não é o tipo de elemento em que eu presto muita atenção enquanto estou assistindo algo.

Conclusão

LWA: The Enchanted Parade é uma história clichê e simples, mas bem divertida de se assistir, com um visual muito agradável, personagens carismáticas e bom ritmo. Eu realmente espero que a obra atraia interesse o suficiente para se transformar em um anime, pois gostaria de ver para onde os roteiristas podem levar as personagens e o mundo dessa forma.


Boa semana e até mais!