quinta-feira, 17 de março de 2016

Rakudai Kishi no Cavalry

12:00:00 Escrito por Lucas Rodrigues , , ,
Rakudai Kishi no Cavalry (Chivalry of a Failed Knight em inglês) é um anime de 12 episódios feito pelo estúdio Silver Link, adaptação da light novel escrita por Riku Misora. Ele foi lançado no final de 2015. Esse artigo vai tratar apenas do anime.

Algumas pessoas são capazes de manifestar sua essência em forma de arma – essas pessoas são conhecidas como Blazers. Eles podem treinar em acadêmias para se tornarem Mage-Knights. O anime segue Ikki Kurogane – um Blazer de rank baixíssimo – e Stella Vermillion – a princesa de um pequeno país e uma das estudantes mais fortes da acadêmia.

Com essa premissa extremamente genérica e clichê, o anime ainda conseguiu chamar minha atenção. Não por uma qualidade absurda de roteiro, mas porque ele me deixou com vontade de escrever um artigo levemente diferente do que eu costumo trazer para o site. Então vamos lá:

Personagens

Acho que é bom começar dizendo que, embora esse artigo vá trazer spoilers da série, eu recomendo que leia até o final. Os spoilers são necessários para a análise fazer sentido, e não é como se você nunca tivesse visto esse tipo de história antes.

Ikki Kurogane é o típico personagem principal. Simpático, esforçado, amigável, honrado, focado em seu objetivo quase como se vestisse um cabresto. Embora seja classificado, graças ao sistema arbitrário desse mundo, como a pessoa mais fraca de sua acadêmia, ele é, na verdade, um completo fodão – o que lhe falta em poder mágico, ele compensa com técnica e sua habilidade de estudar e entender o estilo de luta de seus oponentes. Ele é mostrado como alguém que não quer deixar com que outros carreguem suas preocupações, e que apesar de tudo, quer a aprovação e aceitação de sua família.

Stella Vermillion é uma Blazer poderosa, mas frustrada porque isso sempre parece mais relevante a todos a sua volta do que o esforço que ela teve em aprimorar sua técnica de combate. Colega de quarto de Ikki, a garota tem inicialmente uma postura de antipatia para com ele, mas logo acaba se tornando sua amiga, já que ele reconhece o esforço dela. Seu objetivo é se tornar Mage-Knight para assegurar a segurança de seu pequeno país.

Shizuku Kurogane é a irmã de sangue de Ikki, ao contrário do que se imaginaria pelas aparências, mas isso não impede que a garota seja apaixonada pelo irmão. Felizmente, isso não é feito apenas como fanservice. Shizuku cresceu vendo Ikki ser destratado por todos de sua família, coisa que ela não sofreu por ser forte. Isso a deixou não apenas com raiva das pessoas e fechada, mas também a fez decidir dar ao irmão todo o carinho que ele não tinha recebido dos outros.

Difícil achar uma imagem colorida desses dois.
Alice está em uma posição interessante em relação ao resto dos protagonistas. Colega de quarto de Shizuko, sua única relação com os outros é ser uma ótima conselheira, ombro amigo, e ter uma intuição afiadíssima. Também é uma Blazer bem forte, e é trans.

Romance

É interessante mencionar que, apesar de ser um anime com muitas personagens femininas e um fanservice exagerado – embora não constante –, Cavalry não cai na armadilha de se tornar mais um anime de harem. Ikki e Stella monstram um respeito crescente entre si, e acabam se tornando um casal bem cedo na série, e ainda mais, o autor evitou usar outras garotas para gerar drama no relacionamento – os pequenos problemas enfrentados no namoro dos dois vem de falta de comunicação no início, e fica por ai. A série usa o relacionamento como um elemento, e não como um dos motes principais. Ele também evita tornar Stella uma donzela em perigo, e vemos ambos em situação de fragilidade com o outro servindo como suporte.

Happy couple is happy.
Mesmo que no início tenhamos uma pequena competição entre Stella e Shizuku, o relacionamento serve como ponto de crescimento para a irmã de Ikki, que acaba por ficar feliz que o irmão finalmente conseguiu encontrar alguém para lhe dar carinho. Isso não torna ela menos grudenta, mas ao menos não temos mais insinuações de desejo incestuoso por parte da garota.

Entretanto, existe um elemento que pode divergir a opinião do publico. O fanservice da série pode ser pouco, mas ele costuma ser agressivo quando ocorre. Desconsiderando o 3º episódio (oh god, why?), a própria Stella acaba em situações de nudez ou seminudez de forma constante, e outras personagens secundárias acabam tendo momentos gratuitos e desnecessários. Mas isso acaba levando a situações agradavelmente fora do comum, como a dos 5 primeiros minutos da série, e mais para frente, um momento que desenvolve o casal, embora trate a sexualidade de Stella de forma idiota.

Poder

É importante notar que embora o autor se esforce para que Ikki não seja visto como um monstro overpower, ele falha bastante nesse objetivo. O garoto é considerado o mais fraco de sua academia graças a um sistema antiquado de rank, que também fez com que ele fosse ignorado e discriminado pela própria família – conhecidos por gerar alguns dos mais poderosos Blazers – mas não é isso que a animação faz parecer. Desde a sua primeira luta contra Stella, em que ele acaba vencendo mesmo após a derrota moral de ambos – fazendo com que sua derrota moral não tenha significado – vemos Ikki como uma máquina cuja vontade de ferro supera todo e qualquer desafio. Em sua segunda luta, contra um arqueiro que o deixou assustadíssimo, ele acabou virando o combate, mesmo após estar gravemente ferido, graças a apenas um grito de motivação de Stella.

As coisas vão se tornando mais aceitáveis conforme a série contínua, mas ainda é difícil engolir que ele foi tratado sempre como o mais fraco e ninguém nunca reconsiderou essa estupidez. Mesmo que sua baixa quantidade de energia mágica faça com que sua habilidade mais poderosa funcione por apenas um minuto, depois do qual ele colapsa de cansaço, Ikki mostra-se mais do que capaz de enfrentar oponentes poderosos sem recorrer a isso. Ao menos as pessoas que ele enfrenta não são tratados como completos idiotas que não sabem nada de técnica, ou fracotes que não podem lidar com nada sem que ele esteja por perto. No momento mais próximo disso, a personagem foi mostrada como descrente em sua filosofia de combate e de vida.


Aspectos Técnicos

Nada a destacar aqui. A animação é competente, e embora as lutas não sejam um primor técnico, são bem representadas. A trilha sonora se encaixa bem, mas nada se destacou pra mim – o que não é novidade.

Considerações

Chivalry of a Failed Knight nem de longe é uma obra que precisa ser assistida. Embora ele brinque bastante com clichês em seu início, quase como se o autor estivesse rindo das repetições do gênero, ele continua sendo uma história clichê, com alguns problemas que provavelmente incomodarão. É importante notar que é uma obra não finalizada, com gancho para uma segunda temporada. Só o tempo dirá se ela realmente vai acontecer.


Boa semana.