terça-feira, 17 de maio de 2016

Overwatch - Primeira Impressões: Personagens

12:00:00 Escrito por Nyu , , ,
Resolvi deixar para falar apenas dos personagens nessa postagem porque são muitos e a matéria ficaria gigantesca se não a dividisse. Na verdade, ela já está gigantesca. Se quiser ler apenas sobre o jogo em geral, clique aqui. Ambas as matérias contem toda minha opinião, e apenas do beta, mas já foi o suficiente para sentir como é o jogo e se vale ou não comprá-lo.

Os personagens são divididos em quatro categorias: Ofensiva, Defensiva, Tanque e Suporte. Os dois primeiros grupos têm seis personagens, o terceiro tem cinco e o quarto tem apenas quatro, totalizando 21 personagens.


Começando com os Ofensivos, temos Genki, um ninja que joga shurikens nos inimigos, se protege e ataca com uma espada e tem como golpe especial utilizar sua katana, causando muito dano nos inimigos. Ele é um bom personagem para aqueles que gostam de pegar os alvos desprevenidos, e graças a seu salto duplo, tem uma mobilidade interessante.

McCree dá muito trabalho, já que um de seus golpes é atordoar os personagens por alguns segundos, o suficiente para matá-los. Usa uma pistola, podendo tanto atirar normalmente quanto descarregá-la de uma vez. Seu especial é marcar todos os inimigos que estão em sua área de visão para então dar tiros certeiros. O ruim é que os inimigos podem se esconder atrás de pilastras, paredes ou qualquer outra coisa para não levar o especial, principalmente porque o personagem anuncia seu golpe com um som característico.

Reaper age pelas sombras, se teleportando para pontos estratégicos com suas shotguns. E caso esteja na pior, ainda consegue virar uma fumaça e fugir do meio da batalha, pois nessa forma não é atingido por nada, mas também não pode atacar. Sua habilidade suprema é atirar para todos os lados, muito bom para quando há um grupo de inimigos tão perto um do outro.

Soldado 76 é ágil e perfeito para aqueles que gostam do estilo clássico de FPS. Ele pode correr constantemente, e sua arma suporta fogo constante e pode atirar misseis. Ele pode ainda colocar uma pequena cura em área. Mas o destaque fica por conta de seu especial, que liga uma mira automática em qualquer inimigo que esteja na sua tela.

Ainda temos Pharah, que lembra muito o Soldier de Team Fortress 2 com seu lança-mísseis. Sua armadura tem propulsores e um jetpack, o que dá a ela uma mobilidade vertical muito boa. Junto com seu especial que lança uma chuva de mísseis de uma vez, isso a permite varrer adversários de surpresa. Mas o ataque é uma faca de dois gumes: você ainda está vulnerável a danos no ar, e não pode se mover, e caso atinja uma parede próximo, toma dano de suas explosões. Ela ainda conta com um foguete que joga adversários para longe.

E por fim temos Tracer, a garota propaganda do jogo. Ela pode se teleportar para frente ou para trás, avançando seus passos e fugindo dos inimigos. Outra habilidade é voltar no tempo e se teleportar para um ponto que estava segundos antes, o que ajuda a escapar tanto de uma emboscada, quanto de quedas ou das habilidades supremas dos inimigos, inclusive, serve para fugir da própria habilidade suprema, que é colocar um detonador no meio do campo. Ela possui duas pistolas, e apesar de o dano não ser tão alto, o inimigo pode ser abatido só com o tempo que ele vai gastar procurando-a.

Dentro do grupo, joguei muito mais com a Pharah do que qualquer outro, mas todos eles são ótimos personagens, apenas se precisa pegar um pouco o jeito com a ofensiva direta dos outros. McCree, Reaper e o Soldado 76 podem soar parecidos de início, porém cada um tem um estilo de jogo totalmente diferente, principalmente graças a suas armas e habilidades.

Pharah, Reaper, McCree, Tracer, Genji e Soldado 76
Seguimos para os Defensivos. Bastion é um robô que alterna entre duas formas: um robô com uma metralhadora, e uma torre imóvel com uma grande metralhadora, torando ele bem interessante para a defesa de pontos. Ele ainda pode se concertar sozinho, evitando ter que sair por ai em busca de cura. Seu especial o transforma em um tanque de guerra com mais mobilidade e com danos explosivos por alguns segundos.

Torbjörn é o engenheiro do grupo, colocando construindo uma torreta em pontos estratégicos. Ele lembra muito o Enginer do TF2, embora as habilidades de teleporte fiquem por conta de outra personagem. Ele ainda pode conceder armadura extra para aliados ou para si mesmo, o que ajuda a absorver algum dano inimigo. Para atacar, ele usa uma pistola de rebites e um martelo de forja. Caso as coisas fiquem difíceis, sua habilidade especial de superaquecer ainda o concede mais armadura e velocidade de ataque.

Junkrat é o Demoman do time. Sua arma permite jogar granadas que quicam para então explodir, e ele ainda pode colocar uma mina para explodir quando quiser ou para se lançar para o alto. Ele também tem uma das habilidades mais irritantes do jogo: uma armadilha que impede completamente o movimento do inimigo que pisar nela. E enquanto o adversário está confuso, é bem provável que ele acabe morto. Sua habilidade especial é lançar um pneu controlável e cheio de explosivos. Embora o adversário possa atirar e destruir a arma caso a veja, você tem uma boa quantidade de tempo para posicionar e levar metade dos inimigos pelos ares. Ele é um dos personagens com a aparência mais bizarra, e sua dublagem em português inclui palavrões.

Então temos a meiga Mei, aquela que congela todo mundo e cria paredes de gelo. É inclusive difícil saber quando e onde usar, porque você pode atrapalhar sua equipe ao tentar atrapalhar a outra. Ela pode causar discórdia entre o time por atrapalhar o especial de um aliado. A garota pode ainda se congelar no meio do combate, ficando invulnerável enquanto recupera alguma vida.

Por fim os dois snipers: Hanzo atira com arco e flecha, não fica tão longe do campo de batalha, mas é difícil de localizar por sua capacidade de subir paredes. Suas flechas são poderosas, e ele pode atirar várias que ricocheteiam pelo cenário ou uma que mostra a posição de inimigos próximos mesmo atrás de paredes. Seu especial é lançar dois dragões que causam dano massivo. Embora o poder vá em linha reta, é ótimo para limpar grupos de inimigos em cenários mais fechados.

Widowmaker utiliza um rifle, alternando entre o modo automático e de precisão, e tem um gancho que pode usar para escalar construções com mais velocidade. Ela pode posicionar uma mina de gás venenoso, que se bem posicionada, pode confundir o inimigo por tempo o suficiente pra um headshot. Sua habilidade especial mostra a todo o grupo onde cada inimigo está, facilitando imensamente o trabalho dos outros.

Joguei pouco com os dois por falta de prática em atirar de longe, mas quem sabe jogar, consegue incomodar os inimigos e beneficiar muito o grupo mostrando inimigos através da parede.

Dentre todos, Mei e Bastion foram os que mais utilizei. São ótimos personagens para defesa de território ou para levar a carga, já que tem um controle de campo legal.

Bastion, Torbjörn, Mei, Hanzo, Junkrat e Widowmaker
Os tanques. Ah! Os tanques. Reinhardt é um cara enorme de armadura completa e possui um martelão e um escudo. Apesar de lento, é um dos melhores para segurar os tiros e ajudar os companheiros a avançarem. Tem uma investida que empurra seus oponentes para longe, e esmaga aquele que estava em seu caminho, e também serve como corridinha para avançar logo pelo mapa. Seu poder faz com que os inimigos em sua frente caiam no chão, ficando vulneráveis a ataques por alguns segundos, dando a oportunidade para ele descer o martelo neles.

Zarya tem um canhão de partículas que atira tanto uma linha de laser, que não tem muito alcance, quanto bolas explosivas, uteis para atingir aqueles inimigos que estão lá longe ou escondidos nas construções. Ela lembra o Heavy, correndo para a linha de frente e atirando em tudo que se mexe. Suas habilidades consistem em criar escudos de proteção tanto para si mesma quanto para aliados, mas apenas por alguns segundos. É bom tê-la no meio do tiroteio fazendo churrasquinho da galera.

Winston é um macacão azul com arma de choque. Ele pode dar um salto que pode jogá-lo em cima dos inimigos ou cobrir uma boa distância no cenário, e criar uma barreira de proteção redonda em um ponto específico. Porém, essa barreira não é tão resistente. Sua arma é interessante, pois apesar do curto alcance, atinge tudo em sua frente e atravessa escudos, dando uma vantagem contra o Reinhardt. Ele pode entrar em fúria com sua habilidade especial, ganhando vida extra e a capacidade de arremessar seus inimigos para longe, muito longe.

D.va pilota um pequeno mecha que pode atirar sem parar, apesar disso deixá-lo lento. Tem talvez a habilidade especial mais desgraçada do jogo, saindo do robô enquanto inicia uma autodestruição que varre uma área enorme. Ela ainda pode usar um jato propulsor para se aproximar mais rápido dos inimigos, e ativar um escudo que impede o mecha de atirar, mas reduz o dano vindo da frente. Caso a armadura seja destruída, ela sai andando por ai, como uma “segunda vida”, embora sem sua armadura seja uma personagem frágil, com uma arma meio fraca, ela logo pode chamar sua armadura de volta. Apanhei muito para essa personagem enquanto jogava, tanto com ela quanto contra ela.

Roadhog é um cara gordo com um porco tatuado ao redor de seu umbigo saltado. Ele é uma desgraça, em todos os sentidos. Se você souber jogar bem com essa criatura, você consegue fazer os inimigos ficarem desesperado. Caso contrário, é você quem ficará no desespero. Ele tem um gancho que puxa o inimigo para perto de si, o que o deixa vulnerável para seus tiros de espingarda. Ele também pode recuperar parte de sua vida. Com sua habilidade especial, ele atira como louco, e seus ataques jogam os inimigos pra longe.

Roadhog, Reinhardt, Zarya, Wintson e D.Va
E por fim temos os suportes. Eles são tão importantes quanto qualquer outro personagem, mas nem todos tem cura, como é o caso de Symmetra. Ela é uma personagem que é melhor jogada segurando bases, por colocar pequenas sentinelas nas paredes ou no chão, escondidas dos inimigos, podendo fazer um dano considerável nos mais desavisados. Ela fornece escudo para os aliados, e sua arma funciona tanto como um feixe concentrado quanto lançando esferas de energia nos inimigos. Com seu especial, ela cria um portal, e diferente do Enginer de TF2, você só precisa colocar a saída, já que a entrada é feita automaticamente no spawn do seu time.

Mercy se veste como e é praticamente um anjo no campo de batalha. Embora sua cura não vai fazer com que ninguém aguente três inimigos atirando ao mesmo tempo, ela ajuda a dar uma respirada. A médica ainda pode aumentar o dano de um personagem caso ache interessante. Está em um canto difícil de alcançar e sem vida? Ela ainda pode chegar voando até um adversário. Mas seu especial é que faz a personagem brilhar: reviva todos os aliados mortos nas proximidades. Isso pode dar uma virada no jogo, ou você pode só morrer de novo em alguns segundos. Mas não culpe a Mercy, pois ela só está fazendo um bom trabalho como necromante médica! E não se preocupe, você ainda tem uma pistola secundária que causa um dano considerável.

Temos o nosso compatriota Lúcio. Ele é o cara que cura em área, mas também é o que dá velocidade para a galera. Apesar de também atirar, seu poder de fogo é um pouco baixo, mas ele estará sempre por perto ajudando. Uma de suas habilidades é fazer um pulso sonoro que empurra o oponente para longe, sendo útil para jogar inimigos para buracos ou para fora de coberturas. Sua habilidade especial cria um escudo para todos os aliados próximos, ignorando uma quantidade massiva de dano por alguns segundos. Ele também pode correr pelas paredes, embora isso seja um detalhe menor.

E por fim temos Zenyatta, um robô que joga orbes de cura nos aliados e orbes que aumentam o dano recebido em inimigos. Apenas um por pessoa, mas o suficiente para ajudar todos. Seus tiros normais também consistem em arremessar orbes. Seu poder especial faz com que ele fique imune a dano e restaure a vida de aliados próximos.

Entre todos os suportes, gostei mais de Lúcio e Mercy. Symmetra é uma personagem para defesa, e você precisa conhecer o mapa para saber onde botar as sentinelas.

Lúcio, Zenyatta, Mercy e Symmetra
Apesar de termos 21 personagens, todos eles são equilibrados, e não há nenhum que se torne inútil perante outros, como acontece em alguns jogos cheio de personagens, que acabam se sobrepondo de mais. A dublagem está excelente, e os personagens interagem entre si. Fique de costas para um inimigo que o personagem mais próximo irá te avisar sobre isso. Outros avisarão sobre o teletransporte da Symmetra, dirá caso o encontre e o destrua. E o melhor são as conversas entre eles enquanto esperam o tempo para iniciar a partida. Embora o jogo não tenha modo história – caso queira saber mais sobre eles, é só acessar o site oficial –, cada personagem demonstra bem sua personalidade e maneirismos.

Pode perceber o quão comparei muitos personagens com os de TF2. Fiz isso porque ele é um jogo muito conhecido, até por ser de graça na Steam, o pelas influências dele em Overwatch serem obvias. Não falo isso como algo negativo, acusando plágio ou coisa assim, porque não é verdade. Apesar deles serem jogos de PvP de tiro, onde trabalhar em equipe é essencial, e terem modos parecidos, eles ainda são diferentes.

Interessante ver é que não existe nenhum personagem que seja parecido com o Spy. Ninguém que fique invisível, ou focado em dar backstab, ou atrapalhar as construções. Mesmo boa parte das funções de TF2 representadas em Overwatch são divididas entre dois ou três personagens, e algumas nem sequer existem no primeiro. É interessante ver como a Blizzard poliu a fórmula, tornando o estilo de jogo ainda mais frenético e divertido.